terça-feira, 28 de junho de 2011

8ª séries: A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL (1939 – 1945)

              Confundem-se com os efeitos da Primeira Guerra Mundial. A contenção do expansionismo alemão, italiano e japonês levando ao poder, nesses países, grupos de extrema direita (fascistas); o isolamento em que foi mantida a URSS, a crise de 1929 e a Grande Depressão, acentuando os antagonismos e provocando a mais grave crise do capitalismo mundial. Essas circunstâncias provocaram a necessidade  de rearticulação do quadro internacional, desembocando na Segunda Guerra Mundial.
            As causas da Primeira Guerra Mundial dizem respeito à disputa colonialista e imperialista, conseqüência da industrialização e do nacionalismo agressivo das potências européias; já as da Segunda Guerra Mundial foram o desdobramento das crises não resolvidas, como a redivisão dos mercados mundiais entre as grandes potências capitalistas, prejudicando os vencidos (Alemanha) e insatisfeitos (Itália e Japão), contidos em seu avanço imperialistas, e a ascensão, nesses países, de grupos de extrema direita, defensores de uma política externa agressiva, e, ainda, à crise do capitalismo liberal.
            A conquista da Manchúria pelo Japão (1931); a ocupação da Etiópia pela Itália (1935-1936); a participação das forças nazifascistas na Guerra Civil Espanhola; a invasão da China pelo Japão (1937); a invasão da Áustria pela Alemanha ( “Anschluss”, 1938); o Pacto de Munique, que atendia às exigências alemães sobre a Tchecoslováquia; o Pacto Germano-Soviético de Não-Agressão; a conquista da Albânia pela Itália (1939) e a invasão da Polônia pela Alemanha (1939).
            A Crise de 1929 representou um grave golpe no capitalismo mundial; aproveitando-se da crise econômica e da instabilidade política e social, o nazismo subiu ao poder na Alemanha, em 1933, tendo Hitler incitado a política Revisionista (revisão do Tratado de Versalhes), desenvolvendo o expansionismo agressivo e dando origem a várias crises internacionais (conquista da Tchecoslováquia, anexação da Áustria e invasão da Polônia).
            A entrada dos EUA, e da URSS na guerra (1941) foi decisiva para a vitória contra o nazifascismo, em virtude do poderio militar desses dois Estados, e da formação de uma frente anti-fascista na Europa e no Pacífico.
            A rendição da Itália ocorreu com a invasão dos aliados em 1943: Mussolini foi deposto, mas as tropas alemães continuavam resistindo. A Alemanha rendeu-se em maio de 1945 com a conquista de Berlin pelos soviéticos, e o Japão capitulou após o bombardeio de Hiroshima e Nagasak: pelo EUA (1945).
            Teerã (1943): reuniu Roosevelt, Stalin e Churchill; futuro desmembramento da Alemanha, questão de fronteiras da Polônia, propósito de fazer a paz com a colaboração de todas as nações. Ialta (fevereiro de 1945): reuniu Roosevelt, Stalin e Churchill: pontos relativos a criação da ONU; confirmada a divisão da Alemanha; basicamente significou a divisão do mundo em áreas de influência norte-americana e soviética. Potsdã(julho/agosto de 1945): reuniu Truman (sucessor de Roosevelt), Stalin e Churchill (depois Clement Attlee): a Alemanha foi dividida em quatro zonas: soviética, norte-americana, francesa e inglesa; o mesmo aconteceu com Berlim; questões relativas à desmilitarização da Alemanha, cessão de Dantizig à Polônia; divisão  da Prússia Oriental entre URSS e Polônia.
            O ponto de partida para a criação foi a Declaração das Nações Unidas (1942) que fixou uma frente para prosseguir a luta contra o nazifascismo e endossou a Carta do Atlântico (1941). Em Ialta, determinou-se a convocação de uma Conferência em São Francisco, que se realizou em 1945. Objetivos da ONU: assegurar a paz mundial e a cooperação entre as nações; sede: Nova Iorque; órgãos principais: Conselho de Segurança (membros permanentes: EUA, URSS, França, Inglaterra e China; 10 membros não permanentes eleitos por dois anos); Secretariado Geral; Assembléia Geral (composta por todos os países membros); Conselho Econômico e Social, a que se ligam órgãos especializados (FAO – agricultura; UNESCO – cultura, ciência educação; OIT – trabalho; OMS – saúde); e a Corte Internacional de Justiça, com sede em Haia. Sua posição em relação aos conflitos e questões internacionais tem sido importante sobretudo no que diz respeito aos problemas gerados pelo subdesenvolvimento.